ssocial.hemose@fsph.se.gov.br +55 79 3259-3174

Palestra destaca processos do manejo de resíduos em serviços na área da saúde

A promoção da consciência ambiental e os cuidados com a saúde do profissional da área da saúde foram os aspectos abordados durante uma palestra no Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose), unidade da Fundação de Saúde Parreiras Horta (FSPH) que integra a Rede Estadual de Saúde. A atividade de educação com a participação de estudantes da Escola Grau Técnico tem como objetivo proporcionar conhecimento sobre o correto manejo dos resíduos na área de saúde.

Na ocasião foram abordados temas relativos à legislação e resoluções pertinentes aos Resíduos de Serviço de Saúde (RSS), com detalhamento nas etapas, classificação, segregação, acondicionamento, coleta interna, transporte interno, armazenamento, coleta externa, tratamento e disposição final ambientalmente adequada dos resíduos gerados no Hemocentro de Sergipe. “Essas palestras proporciona a todos que visitam as unidades da Fundação Parreiras Horta o conhecimento dos significados dos símbolos que identifica as diversas lixeiras distribuídas nos setores”, explicou Jefter Costa, gerente de Gestão Ambiental e Biossegurança da FSPH.

Ele destacou que através das palestras a comunidade acadêmica pode colaborar na correta segregação e no acondicionamento dos resíduos, que tem como principal benefício proteção à saúde do trabalhador e preservação do meio ambiente. “Quando os estudantes entendem bem o processo de manejo de Resíduos de Serviços de Saúde, eles podem prevenir acidentes e incidentes de trabalho, preservando a integridade física de si mesmo, dos colegas de trabalho, dos pacientes, da comunidade e do meio ambiente”, ressaltou o gestor.

Para finalizar Costa reforçou a necessidade de que todos profissionais tenham conhecimento das legislações reguladoras em manejo dos serviços de saúde, com ênfase na RDC 222/2018 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Resolução CONAMA 258/2005.  “Esse contato é importante, pois estamos conversando com futuros profissionais de Saúde que irão lidar com substancias e materiais perigosos que terminam gerando resíduos potencialmente perigosos a toda a cadeia”, concluiu.

A estudante do curso técnico em enfermagem, Valeska Viana Barreto, disse que o momento oportunizou aprendizado fora da sala de aula sobre um tema bastante relevante, os resíduos produzidos no banco de sangue. “Nossa profissão requer cada vez mais conhecimento técnico de todos os processos que envolvem a saúde e essa palestra, chegou para acrescentar mais conhecimento”, salientou.

Rosangela Cruz Lima

Your Turn To Talk

Deixar uma resposta:

Seu e-mail não será públicado.