ssocial.hemose@fsph.se.gov.br +55 79 3259-3174

Lacen monitora oito tipos de vírus de doenças respiratórias

O Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), unidade da Fundação de Saúde Parreiras Horta (FSPH) que integra a Rede Estadual de Saúde, segue com o trabalho de análise dos vírus transmissores de doenças respiratórias como, alergia, asma, bronquite, rinite, pneumonia e enfisema pulmonar. De janeiro até 18 de junho, já foram analisadas amostras de 385 pacientes.

Deste total, (72) apresentaram resultados positivos para H1N1, (02) para H3N2, (12) Influenza A não subtipado e (01) para Influenza B. Dos outros vírus respiratórios circulantes foram identificados (11) Adenovirus, (03) Parainfluenza 3, (01) Parainfluenza 1, (70) Vírus Sincicial Respiratório e (01) Metapneumovirus.

As análises realizadas no Laboratório Central são automatizadas através de um equipamento de extração de material genético, com capacidade para isolar o RNA viral de até 64 amostras de uma única vez. Essas amostras vão para outro equipamento, o termociclador, que realiza a técnica conhecida como rt-PCR – Reação em Cadeia da Polimerase em tempo real, que detecta a presença de vírus e faz sua identificação. “Todo esse trabalho é possível graças ao parque tecnológico avançado que temos no Lacen e a equipe técnica capacitada”, salientou o gerente de Biologia Molecular, Cliomar Alves dos Santos.

 

Segundo ainda o gestor, nos períodos sazonais com oscilação entre as temperaturas, aumenta o número de pessoas com sintomas de viroses. “Há uma exposição do sistema respiratório a essas mudanças climáticas que é apropriado à contaminação por vírus, bem como aqueles pacientes alérgicos. Nestes períodos, nosso maior foco é identificar os vírus da Influenza A, dos subtipos H1N1 e H3N2, e os da Influenza B, que são os mais graves. No entanto, o Vírus Sincicial Respiratório, que está com uma circulação em evidência nessa sazonalidade e tem a característica de internar muita criança abaixo dos 5 anos em Unidades de Terapia Intensiva”, comunicou.

 

Os diagnósticos realizados no Lacen tem como finalidade agilizar o tratamento do paciente portador de algum respiratório, além de auxiliar as Vigilâncias Epidemiológicas no trabalho voltado à incidência dos casos e ao Ministério da Saúde para identificação de novas mutações genéticas dos vírus e, dessa forma contribuir para preparação de medicamentos e  novas vacinas.

 

Serviço

 

O Lacen é a unidade de referência de Sergipe, responsável pelas ações laboratoriais de média e alta complexidade em Vigilância em Saúde e complementação diagnóstica, visando o controle dos principais agravos de saúde da população no Estado. O serviço também desenvolve um conjunto de ações que propiciam o conhecimento e investigação diagnóstica de agravos de notificação compulsória imediata, como, coqueluche, dengue, difteria, doença de chagas, meningites, zika vírus, febre amarela, chikungunya, esquistossomose, hanseníase, dentre outros agravos.

fsphadm

Your Turn To Talk

Deixar uma resposta:

Seu e-mail não será públicado.