ssocial.hemose@fsph.se.gov.br / ouvidoria@fsph.se.gov.br +55 79 3259-3174 / 3225-8037

Lacen destaca que amostras para análise do sarampo devem cumprir protocolos

Visando uma boa qualidade nas análises laboratoriais para o vírus do sarampo o Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe (Lacen), reforça a importância do cumprimento dos procedimentos para coleta, armazenamento e transporte de amostras de material sob suspeita do vírus. “O sarampo é uma doença viral e contagiosa que pode ser transmitida quando a pessoa doente tosse, espirra ou fala”, informou o gerente de Imunobiologia da unidade, Cliomar Alves dos Santos.

De acordo com famacêutico-bioquimico, a necessidade do cumprimento dos fluxos tem como objetivo evitar a contaminação através da proliferação do vírus e acidentes de transporte. “Por se tratar do transporte de material infecto contagioso, é necessário o cumprimento dos fluxos para garantir que a amostra chegue ao Lacen viável para as análises contribuindo assim para um correto resultado”, explicou.

Quando um paciente chega a uma unidade de saúde com real suspeita de contaminação pelo vírus do sarampo é coletado três tipos de amostras, secreções respiratórias (nasofaringe e orofaringe), urina e soro. Esse material é encaminhado para o Laboratório Central e cadastrado via o sistema do Gerenciamento de Ambiente Laboratorial (GAL), que viabiliza o acesso do resultado num tempo praticamente real ao solicitante da análise. Nos laboratórios de Imunologia e Biologia Molecular o material de soro passa por testes que utiliza a técnica de enzimaimunoensaio (Elisa) e as demais amostras são encaminhadas para a Fiocruz para realização das técnicas de PCR em tempo real e isolamento viral.

“Aqui no Lacen esse material é colocado numa placa onde o antígeno, que encontra-se aderido a um suporte sólido (placa de ELISA) é preparado e, em seguida, colocado sobre os soros que estão sendo testados, em busca de anticorpos contra o antígeno. O ensaio é detectado por leitura espectrofotométrica”, detalhou Cliomar Alves ao informar. Caso a sorologia dê positiva, o exame é encaminhado para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para realização de técnicas moleculares.

Nota Técnica

Para garantir o cumprimento dos protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde (MS), o Lacen também disponibilizou a nota técnica 03/2018, para leitura e download no site do Lacen: www.lacen.se.gov.br, no menu – Notas Técnicas.  Através do documento  os gestores municipais e da rede laboratorial do Estado,  tem acesso as informações detalhadas de todo o processo.  Mais informações no laboratório de Imunobiologia e Biologia Molecular através do telefone: (79)3234-6018/99142-5986.

Sobre a doença

O sarampo é uma doença viral e transmissível, através da tosse, espirro ou fala da pessoa infectada. O período de incubação é em média 12 dias, podendo variar de 7 a 18 dias. A doença tem início com febre acompanhada de tosse, coriza, conjuntivite e erupção cutânea maculo papular, com distribuição raniocaudal. O vírus pode ser transmitido cerca de 5 (cinco) dias antes e 5 (cinco) dias após a erupção cutânea.

fsphadm

Your Turn To Talk

Deixar uma resposta:

Seu e-mail não será públicado.