ssocial.hemose@fsph.se.gov.br / ouvidoria@fsph.se.gov.br +55 79 3259-3174 / 3225-8037

Hemose: Treinamento detalha uso de máquina para testes imunohematológicos

Um treinamento com a participação de profissionais dos laboratórios de Imunohematologia do Doador e Receptor, do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) explicou os mecanismos para operacionalização do IH-500 Biorad, equipamento onde serão realizadas as rotinas para testes de tipagem sanguínea, pesquisa de anticorpo irregular, pesquisa D fraco e fenotipagem Rh, no sangue coletado na unidade.

De acordo com a gerente dos laboratórios, biomédica Ana Paula Prata, o equipamento chega para auxiliar e agilizar os testes, que anteriormente eram executados manualmente. “O principal benefício é que teremos resultados mais rápidos, totalmente automatizados e interfaceados”, salienta ao justificar que a qualificação dos profissionais tem como objetivo detalhar todo o funcionamento da máquina e a realização dos testes. “É uma oportunidade em que todos aproveitam o técnico da fábrica, para entender e tirar dúvidas sobre os mecanismos do aparelho”, frisa.

Conforme a biomédica antes da realização do procedimento transfusão sanguínea é necessário à realização de testes pre-transfusionais que utilizam como base, uma amostra de sangue do paciente e do doador, para avaliar a compatibilidade entre os dois. Com essa medida o Hemose busca amenizar possíveis reações à infusão de componentes sanguíneos como, hemácias e plaquetas. “Os testes são preconizados pelo Ministério da Saúde, que estabelece as normas técnicas dos serviços de hemoterapia”, disse ao informar que as análises duram uma hora ou mais, até finalizar a compatibilização das bolsas testadas.

Ela relatou ainda que o processo de qualificação e melhorias contínuas na prestação dos serviços de hemoterapia tem como foco a segurança transfusional dos pacientes. “Esse trabalho realizado pelo Hemocentro de Sergipe quer assegurar a qualificação das equipes que se revezam diuturnamente para realização dos testes e liberação das bolsas para transfusão de hemocomponentes nos hospitais”, conclui Ana Paula.

Metodologias

A assessora de Máquinas e Equipamentos da Fundação Parreiras Horta, Rita Farrapeira, destacou que a aquisição do aparelho IH-500, visa à modernização e inovação tecnológica do hemocentro e, que o treinamento é uma ferramenta para validação de sua operacionalização. “Por conta da tecnologia desse novo equipamento, as amostras do sangue serão processadas num tempo menor e com mais agilidade, garantindo maior qualidade nos resultados obtidos a partir das análises”, diz.

fsphadm